Pokémon Mythology
Olá, visitante! Vejo que ainda não está conectado ao nosso fórum, faça login.
Espere, você ainda não está cadastrado? D:
Inscreva-se em nosso fórum e venha aproveitar as novidades que estamos preparando pra vocês. Conte uma história, poste uma arte ou um vídeo! Confira os guias de jogos, tire suas dúvidas e compartilhe sua jogatina. Disputa batalhas online com jogadores e participe dos RPGs. Converse sobre qualquer coisa, poste memes, faça novos amigos! Só não deixe de logar ou se inscrever.
Para cadastrar-se clique no botão 'Sign-Up' ou em 'Registrar-se' aqui abaixo. Seja bem vindo!
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Pikalove
Pokémon Mythology
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

[Finalizado] One Try Championship

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Leo em Ter 10 Jul 2012 - 17:04

Post anti-DP ~ - ~

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 LmPxc4G
Leo
Leo
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por ana em Ter 10 Jul 2012 - 17:20

Bem, o participante ~Leo (valeu pelo anti-dp) me avisou que irá viajar na próxima sexta-feira. Mas porque estou falando disso aqui? É que a próxima rodada será ele contra o Bittö. Segundo o Leo, durante a viajem ele não poderá fazer o texto, sendo que só volta no dia 27. Para evitar transtornos, decidi adiantar a entrega dos textos da próxima rodada. Mas a votação só acontece depois da atual (atual = Mikh x Löwen , próxima = ~Leo x Bittö). Só isso mesmo. E seis dias de prazo para a entrega, mas somente nesta aqui.

~Leo x Bittö
Prazo: 144 horas (6 dias) / do dia 10/07/2012 até o dia 16/07/2012
Tema: Uma fuga

Fugir de onde? Do que? Ladrões, piratas, assassinos, mulheres raivosas? Porque? Isso fica a cargo de nossos escritores! E boa sorte para eles :3
And that's all folks o/
ana
ana
Moderador
Moderador

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : ta dentro dos limites


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Mikh em Qui 12 Jul 2012 - 22:37

Anti-DP radical

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Tumblr_mulgpqyzse1s31mq6o1_400
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 672MS[Finalizado] One Try Championship - Página 3 657MS[Finalizado] One Try Championship - Página 3 017MS
Mikh
Mikh
Membro
Membro

Masculino Idade : 25
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : You stopped being you.


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por ana em Qui 12 Jul 2012 - 22:45

Já te contei que a terra é azul, e que ela gira sobre seu próprio eixo e em volta do sol? Ciência é [palavra censurada] brô. Enfim, vamos para a nossa última rodada antes da semi-final. E eu prometo que se tu votar, vai ganhar um doce Smile #foodkdvc



"Löwen":
Living another day in disguise
Lembro-me como se fosse ontem. O som das balas, o sangue, os feridos. Mas não tenho arrependimentos. Apunhalar alguém que acabou de salvar é muito mais prazeroso do que vocês pensam. Ver todos tentando descobrir quem eu realmente sou por baixo da minha máscara. Sentir o sangue quente, o pavor no rosto do infeliz, ah, é ótimo! Mas às vezes é meio deprimente. Destruir uma construção de um pobre engenheiro que levou anos pra projetar, acabar com toda uma vida apenas por um objetivo fútil, valores financeiros e sem nenhuma profundidade. Sim, eu penso nisso em meio a tantos assassinatos que eu cometo. Mas... Eu não sou sempre assim. Eu já amei.

Foi há muitos anos atrás. Era uma mãe de família, muito bonita. Ela morava em um bairro agitado em Boston, com seus 8 filhos. Todos eles trabalhavam duro para, junto com sua mãe, sustentar a família. Eles todos tinham sido criados com dignidade, sabendo o que enfrentariam quando saíssem de casa. Tanto que o mais novo se juntou ao exército, era um bom menino. Corria bem, tinha muita habilidade. Sua mãe ficou arrasada quando ele fugiu. Fui o primeiro quem ela recorreu. Foi direto pros meus braços, em meu pequeno apartamento provisório no centro de Boston.

“Ele é um quebra-cabeça, dentro de um enigma, envolto em charadas, amorosamente polvilhado com intrigas“ Era o que diziam sobre mim, mas ela nunca pareceu se importar. Quer dizer, ao menos não demonstrava. Nosso tempo junto foi ótimo, mas não durou muito. Logo tive que me separar e juntar-se a guerra. Fiz uma despedida romântica. Usei todas minhas economias e fizemos uma viagem para a França, minha terra natal. Quando voltamos, eu sumi. Nunca mais soube nada sobre “ma petit chou-fleur”. Era como eu a chamava. Minha pequena couve-flor.

O resto da minha vida não parecia ter muito sentido, comparado ao meu curto tempo junto com minha amada. Eu trabalhava para a corporação RED, um dos dois lados da grande guerra que acontecia em terras americanas. Meu trabalho era simples. Matar senhores que se colocavam à minha frente, o que não era nada difícil. Eu me infiltrava nas bases inimigas, roubava informações valiosas. Se houvesse algum cavalheiro que tentava me impedir. Ok, nada demais. Ele se virava e... RIGHT BEHIND YOU.

Na maioria das vezes eu me disfarçava. Tornava-me um BLU, o outro lado da história, e apunhalava todos da base. Isso me fez ganhar alguns títulos. Espião, traidor, fingidor, “o mau usando terno e gravata”. A verdade é que isso é realmente o que eu sou. Traiçoeiro, sorrateiro. Sempre pronto com meu revolver e minha faca. Aliás, não apenas a faca, mas qualquer objeto pontiagudo ao meu alcance. Certa vez eu matei um atirador de elite com uma estalactite. Não me pergunte onde arranjei tal arma. Com meu kit de disfarce, ficava ainda mais fácil me infiltrar no quartel inimigo. Meu tempo no exército foi passando e passando. A cada ano, eu me dava melhor lá. Meus chefes queriam me promover. Meus companheiros me temiam. Todos achavam que eu era “O espião sádico, capaz de matar até seu melhor amigo se preciso”. Bom, não posso discordar. Nunca tive um amigo pra saber. Apesar disso nunca ter parecido muito importante pra mim, nos meus últimos no exército foram os mais solitários. Pela primeira vez, senti falta de uma companhia. Comecei a rever meus conceitos. E isso me atrapalhou extremamente.

Meus pensamentos voavam pelo resto do campo, enquanto meu corpo batalhava bravamente. Comecei a me sentir muito distante de tudo. Mas em compensação, meus desejos sanguinários se tornavam mais fortes e intensos. Enquanto meu corpo matava cada inimigo, eu pensava na minha existência, sobre meus planos de vida. E tudo levava a uma coisa.

- Vida? Que vida? – diziam meus pensamentos, enquanto eu observava a lua – Mas nós não temos vida. Estamos destinados a morrer aqui.

- Não. Eu tenho chance ainda. – retruquei em meio às reclamações da minha consciência – Nos salvaremos. Você vai ver.

Então eu levantei. Ajeitei meu paletó, minha gravata. Tirei minha máscara. Usava meu melhor terno risca-de-giz com tom avermelhado, com algumas manchas de sangue, mas nada que estragasse o visual de um perfeito cavalheiro francês. Comecei a caminhar, sem rumo. Talvez eu chegue até uma pequena cidade e seja acolhido lá. Talvez eu consiga recomeçar minha vida, e até mesmo encontre minha amada. Ela adoraria me ver de novo. Nos casaríamos. E ninguém me conheceria. Nós iriamos fugir pra uma pequena cidade da França, envelheceremos juntos. Eu seria apenas um veterano de guerra. Contaria pros jovens que se alistariam no exército todas as minhas experiências de guerra. Finalmente eu teria uma vida normal.

Caminhei mais um longo tempo no deserto, perto do quartel general de onde eu saí. Continuei pensando em todo o resto de vida que me faltava. O sol já começava a nascer. Peguei minha faca e comecei a manejá-la pra passar o tempo, enquanto ouvia alguns sons de pequenos animais se espreitando, tentando se esconder do sol que começava a iluminar as dunas de algum lugar não identificado dos Estados Unidos. Observei uma cobra e um escorpião se encolherem dentro de alguma toca, em baixo da areia e da terra seca. Talvez houvesse coiotes por ali. Faltaria quanto pra eu acha alguma vila acolhedora? Faltaria quanto pra eu conseguir finalmente minha vida normal?

Algumas horas depois, a insolação já me afetava. Vi alguns vultos. Talvez fosse o que minhas vítimas vissem antes que eu as matasse. Talvez alguém viesse atrás de mim e me apunhalasse agora mesmo. Quem sabe isso também fosse mais fácil, dizem que do lado pós-morte é um mundo melhor.

Outras horas se passaram. O sol continuava firme e forte, batendo em minha cabeça. Senti uma súbita vontade de deitar. De dormir, na terra quente, junto com os diversos espécimes de escorpiões e cobras. Foi exatamente o que eu fiz. Deixei a exaustão tomar conta do meu corpo. Desabei na areia, esperando o que viesse. E foi esse. O fim de uma vida cruel e sangrenta.
Fim
Versus

"Mikh":
War
Eles me olhavam como um monstro. Alguém que já matou muita gente e simplesmente nada mais. Uma mera criatura que mata pessoas e não um herói, como eu esperava. As cicatrizes em todo meu corpo, representando facadas e balas que eu recebi durante a Guerra do ano passado, a segunda guerra mundial, me causam dor até hoje. O sangue em minhas veias de fato não são minhas – são de pessoas que eu matei. Alemães, nazistas, japoneses... Não interessa.

As pessoas me olhavam feito um animal. Alguém que só quer saciar seu desejo de matar: não algo digno, não algo legal de se ter. E agora, sou simplesmente um ninguém no mundo – posso ter uma escultura num exército, mas mesmo assim estou morto. Morto por dentro, o que me dar uma vontade de falecer, de fato.

A neve caía em Nova Iorque. Era estranho, eu sentia o medo e a fúria em minha mente, mas minha alma se sentia vazia: para ela, aqueles dois sentimentos só são tristeza. Algo comum em minha vida de ex-militar. Mesmo assim, ignorei ambos mente e alma, e andei para o cemitério mais próximo, e vi o túmulo de minha mulher – um fato que ocorreu por causa da minha entrada na guerra: um espião alemão a matou.

Agachei-me. Pensei na crueldade da guerra, o que aconteceu, as mortes... Era muito para mim? Talvez. Mas eu precisava pensar pela última vez. Peguei a arma e a coloquei em minha cabeça. Porém, gostaria de relembrar. Relembrar o que aconteceu para finalmente acabar com o sofrimento de uma vez.

1941

Me senti calmo. A guerra contra o Eixo era boa, poucas coisas estavam acontecendo no ano. Mesmo assim, não podia me distrair. Estava no Pearl Harbor no dia 7 de dezembro, eu me lembrava muito bem desse dia por um motivo óbvio – era o dia do ataque. Relaxei por um segundo e vi lá encima.

Um ataque aéreo. O ataque aéreo nipônico, o que oficialmente marcava a traição deles. Não tive muito o que pensar – muitas pessoas também estavam no Pearl Harbor, porém não foram tão espertos quanto eu, e morreram por bombas jogadas pelos japoneses. Corri o mais rápido que pude, me escondendo até eles recuarem. E foi exatamente o que aconteceu, eles saíram depois do ataque veloz.

Imediatamente, corri para o general. Ele estava lá, esperando informações ou coisa do tipo, ou meramente me olhando: “Por que você não está no seu posto?” mesmo assim, lhe disse o seguinte:

- O Pearl Harbor foi atacado pelas forças nipônicas!

Isso ativou seus sentidos. Ele não respondeu, só deu um sorriso dizendo: “Eu já sabia.” E então, corremos pro porto. Ele estava muito destruído, e muitos soldados estavam mortos – e uma bandeira japonesa foi jogada entre os restos do porto – o que era prova suficiente: foram eles.

- Bem. Parece que a guerra contra o Eixo começou de fato. – O general disse, com um sorriso.

1942

Muitos homens estranhamente morreram no mês passado, maio. Japão tinha muita mais área do que imaginávamos, então precisávamos pensar como nós, os EUA, poderiam derrotar as forças japonesas.

Muitos deram sugestões, porém todas tiveram uma falha fatal – eram muito lentas. O Japão tinha muito tempo em mãos para nos matar, então decidimos usar o Blitzkrieg, porém levemente modificada. Como teste, decidimos atacar Filipinas primeiro. Porém, foi muito surpreendente.

Os tanques blindados. Os navios gigantes. Era impossível vencer, estávamos muito fracos. Alguns morreram, alguns foram capturados. Eu estava no segundo grupo, obviamente. Eles falaram algo em japonês qual eu não compreendia, porém, não precisava ser um gênio para entender que nós morreríamos logo. A palavra P.O.W – “Prisioners of War”, estava marcada no barco em um vermelho sangue.

Estava desesperado. Um homem veio em minha direção, e num impulso da guerra, dei-lhe uma cabeçada. Péssimo movimento, agora todos estavam atirando em mim. Porém, fui muito mais esperto do que imaginava. Levantei minhas mãos que continham as barras, e as quebrei com os tiros.

Logo, pulei para o mar e nadei. Nadei como nunca, até uma ilha próxima. Graças a Deus, tinha alguns soldados americanos lá – e eles me socorreram. Mas o que eles mais queriam não era minha segurança...

E sim informação.

1943

Muita guerra ocorria em todos os lugares, porém o pessoal estava tranqüilo. Porém, me senti terrível. O que ocorreu no barco me atormentava até 1943, onde o barulho de tanques se moviam por toda a Ásia, onde a Guerra do Pacífico se passava. Estávamos na ofensiva agora, sabemos todas as táticas graças as minhas supostas informações.

Na verdade, eu menti. Sim, eu menti – eu não tinha nada para dar, então eu simplesmente menti. Porém, deu certo de algum jeito. Lutamos na ofensiva, mas eu não queria me sujar com sangue, então fingi atirar enquanto errava todos os asiáticos que estavam atirando.

Até que, um ataque pelas costas me assustou – e foi muito rápido. O asiático pulou para cima, e eu puxei o gatilho de meu rifle e lhe deu um tiro na cabeça, o matando. Ele morreu, e seu sangue escorreu em meu rosto.

O sentimento era irresistível. Eu queria sentir de novo, então perdi o medo. Só matei, matei e matei. De fato, era engraçado – eu parei de ser um bichinho assustado e continuei matando.

Na ofensiva, um dia aí vencemos. Saímos da Terra do Sol Nascente vitoriosos, por causa de desistência. Estava contente... Era estranho. Muito estranho.

Agora.

Após esta guerra, me olhavam como um monstro – eu estava no cemitério, e com a bala em meu cérebro pronto para levar um tiro. Ela estava fria, porém não a sentia. Apesar de tudo dizer não, meus sentidos diziam sim.

Atirei. A bala perfurou meu crânio, e antes de eu fechar os olhos, vi meu sangue caindo no chão – o que me fez ter certeza...

Eu morri.
Fim

And that's all folks o/

ana
ana
Moderador
Moderador

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : ta dentro dos limites


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Leo em Qui 12 Jul 2012 - 23:08

Foi o duelo mais difícil até agora, na minha opinião.

As duas One shots estavam muito boas, tanto que não notei erros de escrita em ambas, de tão agradável que estava a leitura. Nem sei se tem, não voltei para procurar.

A do Mikh foi a que me agradou mais em história e narrativa, por isso meu voto vai para ele.

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 LmPxc4G
Leo
Leo
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por cfox em Qui 12 Jul 2012 - 23:16

hm
As duas OSs estão muito boas, só o que eu não gostei nas duas é o jeito em que o personagem morre, po na do löw ele senta em um ninho de cobras e na do mikh ele atira na cabeça sacanagem do krl
Eu queria que tivessem dado um pouco mais de ação, mas mesmo assim ficaram muito boas. Porém, a que mais me agradou foi a do Mikh, então voto nele.

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa[Finalizado] One Try Championship - Página 3 IIwkRYa
look @ this young man
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 ALGS6KV
cfox
cfox
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : mate imo mixup have been cunts throughout the fuck


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por MEMEMASTER420 em Qui 12 Jul 2012 - 23:50

Ooooooooookay, vim votar.
Certo, eu li as duas histórias, adorei o contexto delas, principalmente por estarem ligadas a guerra, claro. Porém, há um detalhe, eu amo histórias narrativas, e a história do Low, mesmo sendo a personagem contando, está narrativa, e ótima, por sinal, adorei tudo, encontrei um erro sequer, nada de mais, concordância.
A do Mikh foi a que menos me agradou, certo, foi uma história ótima, uma guerra contra os japoneses, mas há um porém, repetição de palavras, e também erros, falei alguns pelo MSN, mas tudo bem. Voltando, eu achei a sua história muito fraca, tanto em narração quanto em falas e tudo mais, logo voto no Low, sério, amei essa OS

edit: satisfeito fox krl

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 1TLnpiG
MEMEMASTER420
MEMEMASTER420
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue6 / 106 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : Aqui estou eu na toca do Rayquaza


http://leobueno.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Mich em Sex 13 Jul 2012 - 0:30

Bem, eu realmente gostei das duas OS, mas meu voto vai pro Mikh.

Isso porque eu tentei ler a fic do low como se eu não fosse TF2 player, e isso me deixou meio perdido. Isso apenas em estória, devo parabenizar o Low por não conter erros de português.

Quanto á do Mikh, eu gostei bastante. Principalmente do estilo de narrativa "freado", sempre com pontos que desaceleram a leitura e deixam você absorver melhor a fic em um todo.

Bem, parabéns aos dois, ambas as fics estavam excelentes.

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 4wVyD
By Umbreon_Ice
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Microibraso


Pelos campos há flame
Em grandes proporções
Pelas ruas... Ah, dane-se essa porra.

LIFE
Mich
Mich
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : Why not to play along with the city?


http://micherlock.deviantart.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Umbreon_NICE em Sex 13 Jul 2012 - 21:40

Enfim, gostei dos dois textos! O do Low ficou muito bom, ficou bem narrado e descreveu bem a experiência de forma legal, nada muito cansativo. Uma dica é que, no lugar de usar numeros, como usou no começo, seria melhor e é o correto usar em forma extensa. O texto do Mikh também ficou bom e meio que ficou mais chocante e com uma boa narração. Achei alguns erros gramaticais mas não são nada de mais. Uma votação dificil, muito mesmo. Meu voto vai para o Low.

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 SDxZ19i
Umbreon_NICE
Umbreon_NICE
Membro
Membro

Masculino Idade : 21
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : COMUNISMO ANTI SOCIAL


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Asami em Sab 14 Jul 2012 - 13:31

Voto no Löwen . Ah, achei a OS dele beem mais harmoniosa, adorei a metáfora do final que compara o personagem com uma cobra, o assassino dele. O do mikh ficou meio confusa em algumas partes, e bem mais complexa. Apesar da OS do Mikh estar muito bem narrada a escrita, tem alguns pequenos erros e tals.
Asami
Asami
Membro
Membro

Feminino Idade : 21
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : É caaaanon!


http://indigoplateau.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Caio. em Sab 14 Jul 2012 - 15:33

Ambas ficaram meio... Aleatórias, por assim dizer. Mas achei a do Mikh com bastante sentido, talvez porque é baseada na Guerra do Pacífico - o qual me fascina muito -, talvez porque a do León ficou meio... Bem, não sei. O fim foi meio rápido. Tudo foi bem rápido, para dizer a verdade. Não consegui me convencer dos sentimentos, não consegui "adentrar" à história.

Voto no Mikh

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 HokOmTd

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 NQUBRsR
Caio.
Caio.
Membro
Membro

Masculino Idade : 23
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : A noir. E blanc. I rouge. U vert. O bleu.


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por ana em Ter 17 Jul 2012 - 0:33

[color=black]
Final de Rodada
Mikh 4 x 3 Löwen


Meus pêsames Low ;-; . Mas, parabéns aos dois concorrentes por participarem do concurso e chegar aqui :3 Eu geralmente postaria um textinho para acompanhar esse post. Porém, toda minha critividade foi embora. Sorry .-. Enfim, excepcionalmente hoje teremos uma votação seguida de uma votação (explicação vide um post meu na outra pagina). Só isso, e votem pls.
Tabela


"Bittö":
Arma em fuga

Sou uma experiência inacabada. Você sabe o que é isso? Provavelmente não. Fui projetado in teiramente para servir como um hospedeiro para uma doença, de modo que os cientistas do governo possam usa-la como uma arma de guerra. Acredito que eu tenha sido o cara mais azarado de todo o mundo, nascer e viver doente, porque minha mãe foi umas das mendigas escolhidas para isso. Apesar de nunca ter conhecido ela, acredito que ela era muito gostosa para terem escolhido justamente isso. Pelo menos é isso que eu espero.

Hoje, após dezessete anos de pura tortura, resolvi finalmente ser um cara livre, mesmo que apenas por alguns dias.

Pode parecer loucura querer sair de uma base de experimentos do governo, mas essa é a única chance que eu tenho e ver aquela estrela gigante que eles chamam de Sol. Você por um acaso faz ideia do que é viver dezessete anos confinado, sem nem saber como é o mundo por traz dessas paredes de titânio? É claro que não!

Por longos meses pensei em como sair daqui. A segurança é reforçada e eu não tenho nenhuma força física, apenas o ódio que está cada dia mais intenso. Porém, passei a perceber que sempre no período da madrugada, a segurança é bem menos intensa. Provavelmente apenas um terço dos trabalhadores ficam aqui e mesmo com apenas isso, ainda são muitas pessoas. Então tente imaginar a loucura que eu estou tentando fazer.

Até então, minha maior estratégia é fingir um daqueles ataques epilepticos que sempre tenho, por causa dessa maldita doença e depois, preciso agir de acordo com o calor do momento.

~X~

O jovem parecia desesperado, porém, tinha que fazer algo para sentir-se livre daquele lugar. Como havia planejado anteriormente, começou a simular um de seus famosos ataques epilepticos. Logo, uma dupla de guardas, acomphanadas de um cientista chegaram no local para recolhe-lo. O jovem era uma experiência rara e seu corpo não podia ser perdido, por isso tanta marcação.

Por outro lado, sua doença era extremamente contagiosa e isso fazia aqueles à sua volta, agirem da forma mais cautelosa possível. Todos chegavam perto do jovem, apenas com roupas especiais, para não serem infectados.

Jeffrey, como se chamava o jovem, sabia disso, por isso tinha mais um plano para livra-se daqueles à sua volta. Na noite passada, o garoto havia comida muito mais do que de costume, apenas para ter "combustível" o suficiente para pelo menos dois ou três vômitos. Lembrando disso, Jeff começou a agir assim que os homens entraram em seu quarto. Ele enfiou dois dedos em sua guela e forçou o primeiro vômito. Esse atingiu os dois guardas que com medo de se infectarem, saíram do local, levando o cientista para desenvolver uma possível cura para os mesmos.

Como o prisioneiro havia planejado, aquele fato deixaria a segurança instável por alguns minutos, por isso, ele novamente preparou-se para agir. Saiu correndo pelos corredores labirínticos da construção e teve um pequeno progresso. Por alguns metros não encontrou nenhum dos famosos guardas que estariam ali e ficou tranquilo com a situação, então passou a diminuir seus passos, pois naquele momento já estava completamente exausto.

A falta de preparação física causou a exaustão no fugitivo, mas ele não poderia desistir de seus sonhos, afinal, aquela fuga sempre foi planejada e cobiçada, então não seria agora, na metade do caminho que o jovem desistiria. O mesmo sabia muito bem que se fosse pego, jamais teria uma outra oportunidade, pois depois daquele acontecimento, com certeza a segurança seguria quadruplicada para que tal fato jamais acontecesse. O governo perder informações era algo completamente proibido.

A "maratona" em busca da liberdade continuava e cada vez mais perigoso surgiam. Jeffrey agora sentia saudade da calmaria de alguns segundos atrás, pois agora era possível perceber que mais e mais guardas tentavam emboscá-lo. Embora fosse emboscado várias vezes, o garoto sempre acabava se safando. Com isso, era possível deduzir que apesar de acabar com a resistência física do hospedeiro, a doença parecia aumentar a capacidade de inteligência do mesmo.

Agora o desnutrido estava completamente cercado e sem forças. Sabia que se tentasse vomitar novamente, seria em vão e sem qualquer coisa em seu estômago, ele poderia desmaiar a qualquer momento.

Jeff não tinha escolha a não ser simular outro ataque epileptico, mas sabia que ao fazer isso, com certeza seria levado para o laboratório e "sedado" lá mesmo. Provavelmente ficaria inconsiente por alguns dias e quando acordasse, estaria preso. Jeffrey precisava bolar uma estratégia para fugir e agora era urgente.

Quando já pensava em desistir, uma das cientistas responsáveis pelo garoto, surge. A mesma parecia disposta a um acordo ou algo do gênero, porém, Jeff não conseguia imaginar nada a respeito disso.

Descontrolado, o garoto partiu para cimas da doutora. Embora não tivesse muita força física conseguiu dominá-la a ponto e passar a exigir as coisas.

- Caso não queiram mais uma infectada, deixem-me sair! - Exigiu. O garoto possuia uma voz roca e falha, quase impossível de se ouvir.

A doutora pediu para que seus subordinados fizessem o exigido. Embora todos estivessem contrariados, opitaram em fazer o exigido. Novamente, Jeffrey teve uma certa calma. Dali em diante o trecho até a porta de saída foi sem nenhuma turbulência.

O garoto saiu. Fora do estabelecimento, pôde ver o Sol que sempre quis. Aquela estrela fazia o jovem sentir-se orgulhoso por cada uma de suas ações.

Jeffrey largou a doutora e saiu correndo pelo campo aberto que era o pátio da contrução e lá ficou pensativo, até que levasse um tiro e ficasse inconsiente.

~X~

Por um momento pude ver como era a vida aqui fora e confesso que gostei muito. Ver tais maravilhas naturais foi como se todo o ódio que eu sentisse, de minha mãe, dos cientistas, do governo, do mundo, de todos, partisse logo quando eu vi aquilo que chamam de Sol. Podem dizer que sou um exagerado, um pateta, mas ninguém nunca vai saber a dor e o desgaste que tive que enfrentar.

Tudo porque sou uma simples arma do governo. Se serei usado algum dia, isso jamais vou saber, mas eu nunca, em hipótese alguma desejo que alguém, nem mesmo todos aqueles que fizeram isso comigo, passem por tudo que passei. Sim, é esse meu objetivo.

Por mim, eu morreria aqui e agora, tudo para que essa maldita doença jamais se espalhe. Eu apenas desejo que esse pensamento além seja eu partindo para um mundo melhor, pois jamais quero acordar dentro daquele lugar novamente, passar dias chorando e vomitando sangue, pensando que vou liberar todos os meus órgãos privada àbaixo.

Cara, eu daria tudo para jamais ter nascido.

Mas aqui estou eu, experiência de matança de número 12, Jefrey sei lá o que. Um garoto que nunca foi feliz e não sabe o que é ter alguém que o ame. Sou uma simples arma que quer ter um fim.

Fim
Versus

"~Leo":
I don't go to Azkaban.

Era um sala pequena e escura. Algumas estantes com objetos estranhos em suas prateleiras bloqueavam a visão da parede. No centro, havia duas cadeiras encostadas uma na outra e nelas dois homens que aparentavam estar nos seus vinte e poucos anos estavam sentados, aparentemente com as mãos amarradas. Eles trocavam olhares apreensivos e cochichavam o mais baixo possível. Não podiam ficar ali, tinham de fugir. Mas como? Os dois sem varinha, em pleno Ministério da Magia. A resposta seria a mesma que ele usaram tantas vezes, improvisar.

- Ei! Entre aqui, queremos falar com você! - Gritou o mais baixo, de cabelos loiros e rosto bonito, chamado de Gareth.

A porta se abriu e um pequeno feixe de luz iluminou levemente o local. Junto com a luz apareceu um homem magro e de aparência fraca, apesar de jovem. Ele empunhava sua varinha e a apontava para os dois prisioneiros. O medo e a insegurança estavam claros e seus tremores eram constantes.

- O que vocês querem? - Disse ele com a voz fraca e falhando.

- Ora, não seja tão grosso. Só queremos conversar com você. - Falou Steven, o homem de estatura média e cabelos curtos e muito negros.

- Caso não saiba, nós somos avaradores. - Declamou Gareth.

- Avaradores? Quê? - Assustou-se.

- Veja só, um auror não sabe o que é um avarador. - Zombou Steven. - Vou-lhe explicar. Um avarador possui o poder de usar feitiços sem necessitar de varinha. E é o que vamos fazer agora com você.

- BOMBARDA! - Berrou Gareth.

O susto foi tão grande que o jovem auror caiu para trás e bateu a cabeça em uma estante, desmaiando. Steven e Gareth sorriram.

- Idiota. Nem o Ministro da Magia é avarador, quanto mais nós. É isso que dá colocarem aurores novatos para nos vigiar enquanto os guardas preparam nossa ida para Azkaban.

- Ok, agora cale a boca Gareth e me ajuda a pegar a varinha dele.

Com muita dificuldade os dois conseguiram pegar a varinha do jovem e aponta-la para os cordas que os amarra.

- Diffindo.

As cordas de ambos se soltaram e agora estavam livres. Steven guardou a varinha em suas vestes e esticou os braços.

- Bom, agora é só passar pelo resto dos aurores e todos os funcionários do Ministério. - Disse Steven animado.

- Fácil.

Os dois seguiram por corredores escuros e longos. Tentavam não fazer muito barulho, por isso andavam lentamente. Quanto tempo iria demorar para que percebessem que eles haviam escapado? Teriam que ser rápidos e espertos. Andaram mais um pouco quando deram de cara com uma bruxa que aparentemente era do departamento de execução das leis da magia, pelo menos era o que estava escrito no seu crachá.

- Hã? Que is... - Disse a mulher.

- Estupefaça! - Disse Steven, interrompendo a mulher.

Mais uma desmaiada. Estavam deixando muitos rastros. Gareth se abaixou e procurou a varinha da mulher em sua vestes, puxando-a logo em seguida de um bolso das vestes dela. Estavam perto da saída quando ouviram a voz do Ministro da Magia ampliada pelo feitiço Sonorus.

- Os bruxos das trevas Gareth Denvers e Steven Armstrong acabaram de escapar do quarto que estavam aprisionados, onde estavam apenas aguardando sua ida para Azkaban. É pouco provável que eles já tenha saído do Ministério, então todos os funcionários fiquem atentos.

- É, tenho a leve impressão que eles já perceberam que nós fugimos. - Riu-se Steven.

- Incrivelmente, tenho a mesma sensação que você.

Finalmente acharam um elevador, e entraram nele. Não faziam a mínima ideia de onde era a saída desse lugar, o primeiro andar que conseguissem ver iriam tentar sair, nem que tivessem de usar o Bombarda Máxima para explodir uma parede e fugir. Saiam do elevador discretamente em um andar qualquer, torcendo para ser o certo.

- ALI! OS FUGITIVOS! - Gritou um homem apontando para eles.

A estratégia de serem discretos não funcionou. Mas é claro que todos estavam atentos, e dois homens andando rapidamente pelo Ministério, sem estar vestindo roupas de funcionário, iriam chamar a atenção. Steven e Gareth sacaram as varinhas, iriam duelar. Quatro aurores vinham na direção deles, e vários funcionários do Ministério estavam apoiando os captores de bruxos as trevas.
- Expelliarmus! - Ouvia-se de vários vozes.

- Protego. - Steven e Gareth estavam se revezando, enquanto um atacava, outro defendia.

- Confrigo! - Berrou Gareth, abatendo uma boa parte dos funcionários.

- Expulso! - Falou Steven, abatendo a outra metade.

- Só os aurores agora. - Disse Gareth usando Protego no momento seguinte.

- Não será tão fácil como você pensa, Denvers. - A voz de um homem penetrou nos ouvidos dos bruxos.

- Winchester? Quem diria. O panaca da Hufflepuff se tornou um auror. - Zombou Gareth.

- Pois é. Veja só, os dois alunos mais brilhantes de Ravenclaw e talvez da escola, cotados para futuros Ministros da Magia, se renderam as artes das trevas.

- Se um dia nos tornarmos Ministros, você não vai estar vivo para ver! CRUCIO!

- PROTEGO!

O duelo começara. dois bruxos das trevas conta aproximadamente cinco aurores. Raios das mais variadas cores saiam das varinhas e vinha de todos os lados. Até que chegou um hora, que a maioria dos aurores estavam caídos no chão, sobrando em pé apenas Steven, Gareth, Winchester e outro auror.

- Chega Winchester, vamos acabar com isso logo. Antes que o resto dos aurores chegue! AVADA KEDAVRA! - Disse Gareth.

O feitiço era destinado a Winchester, mas acabou acertando o outro auror, que caiu morto.

- VOCÊ MATOU LOGAN! SEU DESGRAÇADO! - Urrou Winchester.

- VAMOS GARETH! PODEMOS FUGIR AGORA! SE ENTRARMOS NAQUELAS LAREIRAS PODEREMOS DESAPARATAR!

Os dois saíram correndo mas apenas Steven entrou na lareira e desaparatou. Antes de sumir, ele viu um raio verde atingir as costas de Gareth e ele cair morto, com um baque surdo. Seu melhor amigo foi morto por Winchester. Desde seu primeiro ano em Hogwarts eles sempre andavam juntos. Ele se sentia morto por dentro. Não tinha mais motivos para viver. Só tinha uma certeza. Iria vingar Gareth. Iria matar Nicholas Winchester.

Fim
And that is all folks o/
ana
ana
Moderador
Moderador

Feminino Idade : 22
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : ta dentro dos limites


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Mikh em Qua 18 Jul 2012 - 16:47

Voto na do Bitto.

________________
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Tumblr_mulgpqyzse1s31mq6o1_400
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 672MS[Finalizado] One Try Championship - Página 3 657MS[Finalizado] One Try Championship - Página 3 017MS
Mikh
Mikh
Membro
Membro

Masculino Idade : 25
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : You stopped being you.


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por ~Palkia em Sex 20 Jul 2012 - 1:10

Mesmo a do Bitto tendo erros, votarei nela. Gostei muito.

________________


[Finalizado] One Try Championship - Página 3 CAv
"They shouldn't have messed with me..."

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 LVsY
~Palkia
~Palkia
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : Kakushigoto


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Sinis em Sex 20 Jul 2012 - 1:16

Voto na do Bitto. Ela me lembra das várias fics de gijinka que já li, e por isso tenho preferência por ela.
Sinis
Sinis
Membro
Membro

Masculino Idade : 20
Alerta Alerta :
[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Left_bar_bleue0 / 100 / 10[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Right_bar_bleue

Frase pessoal : Just be a good girl and blow up, thank you.


Voltar ao Topo Ir em baixo

[Finalizado] One Try Championship - Página 3 Empty Re: [Finalizado] One Try Championship

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum